Categoria

Chapada Diamantina

Categoria
Chapada Diamantina – BA
Placa Andaraí BA

Quem acompanha meus roteiros já sabe que a Chapada Diamantina mora no meu coração, e como já fui algumas vezes, fiz muitas amizades por lá também. De fato, é um lugar com uma energia surreal, as pessoas muito acolhedoras, e é onde eu sempre volto para recarregar minhas energias, e saio sempre com a vontade de retornar. Então, desta vez fui retornando à casa de amigos, na cidade de Andaraí – BA.

Andaraí é um município antigo localizado na região central do Parque Nacional da Chapada Diamantina, que reúne uma arquitetura com prédios da metade do século XIX a uma espécie de paraíso natural. Assim, conta com cachoeiras, rio, praias e o típico estilo rústico e encantador que atrai tantos turistas à Chapada Diamantina.

A cidade fica a 100 km de distância de Lençóis e 43 km de Igatu e tem cerca de 15 mil habitantes. Além disso, é conhecida pelo garimpo e pela grande quantidade de cachoeiras em seu entorno, além de ser banhada pelo rio Paraguaçu.

Rua de Andaraí BA

Cachoeira Do Bocório

Beth na  Cachoeira Do Bocório Andaraí BA

Apesar de ser um ponto turístico um pouco desconhecido de Andaraí, a Cachoeira Bocório fica a cerca de 50 min do centro da cidade. Em suma para chegar até lá fazemos uma trilha de nível fácil, com duração de 40 min seguindo pela mesma trilha que vai para a cachoeira das Três Barras II, por rochas e vegetação.

A cachoeira não é tão grande, mas o lugar é lindo e por não ser uma atração tão famosa, não tem tanta gente e dá para curtir bastante. Geralmente vai com um guia, mas fui com alguns amigos. Aliás, dizem que o nome da cachoeira é Bocório por conta de um garimpeiro de mesmo nome que atuava nessa área.

Rio Paraguaçu

Rio Paraguaçu

Na volta passei pelo rio Paraguaçu, que fica pertinho do centro de Andaraí. O lugar se chama praião por conta da grande quantidade de areia presente. E apesar de não ser tão vendido turisticamente, é uma opção incrível tanto para banho quanto para fotografar.

Mirante de Andaraí – BA

Mirante de Andaraí

Para fechar o dia com chave de ouro, quando saí do rio Paraguaçu fui ao mirante de Andaraí. E então assisti a um espetáculo natural de cores e luz durante o pôr do sol.

Andaraí

Em síntese é um lugar fantástico, eu particularmente amo a Chapada Diamantina e seus encantos, e quem for a Chapada, não deixe de conhecer Andaraí.

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

PARA MAIS SOBRE A CHAPADA DIAMANTINA, SIGA O INSTAGRAM!

Cachoeira da Sibéria e Mar de Espanha | Mucugê-BA

A fim de encerrar o mês na Chapada Diamantina, fui em um dos lugares mais incríveis que já conheci: a Cachoeira da Sibéria e o Mar de Espanha em Mucugê.

Então nessa trilha optei por ir novamente com o guia João Taramba (o mesmo da Rampa do Caim / Cachoeira do Taramba). Assim, busquei ele de carro em Igatu e de lá fomos para Mucugê. Deu para ir de carro até o começo da trilha, mas depois tivemos que ir a pé. Ademais, a trilha é de nível fácil e ela dura em torno de 2 horas, de moto ou com um 4×4 é possível ir mais próximo da Cachoeira da Sibéria. Mas recomendo realizar a caminhada. Pois, ela é incrível!

Os nomes Sibéria e Mar de Espanha são devido aos mineradores estrangeiros que se instalaram na região em busca da vasta quantidade de diamantes nos caldeirões da região. Pelo caminho encontram-se as ruínas do garimpo, perdurando enquanto heranças daquela época.

Cachoeira da Sibéria | Chapada Diamantina

Cachoeira da Sibéria | Chapada Diamantina

No caminho para a Sibéria, antes de seguir a viagem, há uma ótima parada de banho para se refrescar. Ademais, a visão que se tem ao chegar na Cachoeira da Sibéria é uma imensidão espetacular de rochas sedimentares. Além disso, lá são visíveis inúmeros poços de água e a cachoeira.

Mas para aqueles que não gostam de caminhar… só de se deparar com essa paisagem já vale toda a caminhada (e cansaço) até lá!

Mar de Espanha

Mar de Espanha CHAPADA DIAMANTINA
DCIM\104GOPRO\GOPR2141.JPG

Na volta fomos ao Mar de Espanha, contudo, ele é um grande lago do rio Paraguaçu. Esse é um ótimo local de banho, entretanto, tem que tomar cuidado com sua a profundidade.

Decidimos não entrar na água, isto é, a trilha estava um pouco fechada e estávamos cansados. Então ficamos só admirando a paisagem. E é claro, sem deixar de tirar fotos para que vocês também possam admirar. (Risos)

Todos esses passeios feitos na Chapada Diamantina me proporcionaram momentos incríveis! Mas, as experiências não param por ai… E logo irão vir mais roteiros em outros lugares fantásticos.

Como chegar

Saindo de Igatú pela BA-142, na estrada seguindo para Mucugê, cerca de 23 Km. E de lá pega-se uma estrada de terra (cerca de 10 minutos) até o começo da trilha.

Contato do guia

João Taramba: (75) 8245-4652

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

Cachoeira do Taramba, Cadeirinhas e Cachoeira das Laranjeiras

Cachoeira das Laranjeiras

Após o trekking da Rampa do Caim / Cachoeira dos Pombos, resolvi aproveitar outra trilha na Chapada Diamantina. Esse tour foi na Cachoeira do Taramba, Cadeirinhas e Cachoeira das Laranjeiras, todas próximas a Vila de Igatu. Fiz a trilha com o guia João Taramba, o mesmo do último trekking.

Toda a trilha levou uma boa parte do dia, cerca de 5 horas para ir e voltar. Por isso é necessário levar lanche e líquidos. Pois, só almoçamos no final do dia, quase uma janta (Risos)!

Cachoeira do Taramba – Vila de Igatu

Beth e Nina Dog na cachoeira do Taramba próxima da Vila de Igatu (uns 20 minutos apenas).

A primeira parada foi na cachoeira do Taramba, que recebe esse sobrenome graças ao guia João, pois foi ele o desbravador dessa cachoeira! É uma das mais visitadas pelos turistas, já que ela está bem próxima da Vila de Igatu (uns 20 minutos apenas).

Logo na entrada para a cachoeira encontramos um pequeno córrego, que às vezes pode estar seco. Logo após é só subir mais um pouco e logo chega-se na cachoeira. Essa queda d’água tem duas partes que são igualmente maravilhosas!

Cachoeira Cadeirinhas

Também perto da Vila de Igatu, cerca de 15 minutos de distância, a Cadeirinhas é o lugar ideal para um passeio em família.

A cachoeira leva esse nome por ter formato de cadeirinhas debaixo das queda d água.

Não é perigosa para crianças e tem lugares ótimos para se fazer um piquenique, ou seja, ótimo para curtir uma tarde!

Cachoeira das Laranjeiras

Por fim, a última e mais distaante da trilha foi a Cachoeira das Laranjeiras, a cerca de 1 hora e meia de distância da Vila. São cinco quedas d’água excepcionais com o caminho entre elas contando com diversas formações rochosas, que certamente embelezam a trilha. E além disso dão um pouquinho de sombra (Risos)

Assim que sair da Vila de Igatu, cerca de uns 15 min,  a primeira parada é no mirante de Igatu, onde você tem uma vista privilegiada da cidade.

Mirante de Igatu, a 15 min da Vila de Igatu
DCIM\104GOPRO\G0111380.JPG

Se estiver procurando mais sossego, ir para as outras quedas d’água talvez seja a melhor opção, pois como a primeira é mais fácil, muitos se acomodam ali mesmo e nem tentam subir para as outras.

O lugar realmente é “coisa de cinema”, como diz o guia João.

  • Trilha nível médio

Como chegar à Vila de Igatu

Partindo de Andaraí, pela BA-142, são cerca de 15 Km até a chegada em Igatu.

Contato do guia

João Taramba: (75) 8245-4652

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Igatu – Chapada Diamantina BA

Logo após visitar a mina Brejo-Verruga, segui meu roteiro em Igatu-BA, indo para a trilha da Rampa do Caim, e passando também pela Cachoeira dos Pombos. Apesar de parecer trilha uma fácil, muitas pessoas se perdem mesmo com o GPS. Por isso fiz meu roteiro acompanhada pelo guia João Taramba, além de uma companhia incrível, ele é o orientador mais antigo de lá.

7 DICAS PARA VIAJAR MUITO BARATO PELO BRASIL

Rampa do Caim

O nome “Rampa do Caim” origina-se do mirante onde um garimpeiro chamado Caim viveu, todo o percurso da trilha levou cerca de 2h30. Apesar de alguns pontos mais problemáticos, o trajeto foi de fácil caminhada.

A trilha tem vários poços muito legais de se verem, entretanto só há realmente uma parada de banho. Mas como iríamos na Cachoeira dos Pombos, não houve necessidade de parar lá. Não apenas os poços, a vista dos mirantes são um espetáculo para os olhos, com paisagens magnificas que possibilitam apreciar a dimensão do lugar e de toda a natureza ao redor!

Ademais, encontramos dois abrigos de pedra para turistas que pernoitam, e eles realmente passam essa sensação de serem uma residência. Muito massa! (risos).

  • Trilha de Nível Fácil

10 DICAS DE TRILHA PARA INICIANTES

Cachoeira dos Pombos

 Cachoeira dos Pombos - Igatu BA

Por fim, fomos para a Cachoeira dos Pombos, que fica cerca de 10 minutos da vila, uma cachoeira pequena e com muitas pedras. O nível de cima parece muito perigoso para se banhar, então tome um pouco de cuidado ao subir. Todavia, a parte de baixo é ótimo para se refrescar antes de ir embora, ou se optar passar o dia inteiro, recomendável para crianças.

Como chegar à Igatu – BA

Indo pela BA-142 localiza-se a 10 Km de Andaraí.

Contato do guia | João Taramba: (75) 8245-4652

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG
Igatu

Ruínas, Museu do garimpo e Gruna

A Chapada Diamantina, sem dúvida, proporciona grandes aventuras em lugares inesperados. Assim, em Igatu, fui me aventurar em uma antiga mina de exploração de Diamantes. Aliás, chegar ao local é bem fácil, fui até o vilarejo local e consegui todas as informações para o meu passeio.

10 DICAS DE TRILHA PARA INICIANTES

Desse modo, a jazida se tornou ponto turístico após os garimpeiros a reabrirem para visitação. Assim, possibilitando a todos os turistas aprender um pouco mais da história da mina. Além disso, proporcionou uma maior visibilidade ao trabalho daqueles que ganham a vida usufruindo dessa localidade.

Ruínas

O vilarejo era a morada dos garimpeiros que trabalhavam ali. Desse modo, as ruínas deixadas pelas suas casas tornaram-se uma beleza singular para o local, que ficou conhecido como Machu-Picchu-Baiano devido a semelhança com os escombros da cidade perdida dos incas.

7 DICAS PARA VIAJAR MUITO BARATO PELO BRASIL

Museu do Garimpo

 Museu do Garimpo - Igatu
Museu do Garimpo – Igatu

Antes de mais nada, a vila conta com um museu: Galeria Arte & Memoria. Apesar de pequeno, consegue contar bem a história daquele lugar através de seus vários objetos, o espectador observa os inúmeros utensílios utilizados em épocas passadas pelos garimpeiros. De fato, uma tecnologia impressionante para aquele período!

  • Entrada: R$ 5,00

Gruna em Igatu

Gruna em Igatu
Gruna em Igatu

A gruna é uma gruta feita por humanos. Portanto, ela não é um processo natural. Apesar de ser produzida pela ação humana, o lugarejo não deixa de ser encantador, lá é possível encontrar várias estátuas distribuídas pelo local. Não apenas isso, como também nos salões encontram-se as encantadoras marcas deixadas pelos trabalhadores.

Como chegar

Partindo de Andaraí, pela BA-142, são cerca de 15 Km até a chegada em Igatu.

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

Continue a leitura no post do 2º dia de roteiro em Igatu!

http://viagemcombeth.com/2019/01/trekking-rampa-do-caim-e-cachoeira-dos-pombos/

ROTEIRO TERCEIRO DIA EM IGATU BA

Rio Mucugezinho e poço do diabo

O roteiro de hoje foi um pouco diferente. Uma vez que eu pude ir sem o auxílio de um guia, todo o percurso para o Rio Mucugezinho e o Poço do Diabo são bem sinalizados, com muitas placas e trilha de fácil caminhada. Então ela pode ser considera uma trilha autoguiada.

Rio Mucugezinho

Rio mucugezinho Nina Dog

Lençóis foi a cidade onde iniciei o percurso, de carro, e segui para o Rio Mucugezinho. Então, segui a pé por 5 minutos até chegar ao primeiro local de banho, um grande poço raso e tranquilíssimo. Portanto, é ideal para a diversão de toda a família. Além disso, vale lembrar que é permitida a entrada de cães.

O QUE FAZER EM LENÇÓIS – ROTEIROS

Por ser um local de fácil acesso, acaba lotando em épocas de alta temporada. O que pode ser um pouco incômodo para quem quer mais tranquilidade. Porém, como o Rio Mucugezinho forma vários poços, talvez você ache um local mais calmo entre eles, um desses poços é o nosso próximo destino: Poço do Diabo.

Poço do Diabo

Poço do diabo, rio mucugezinho

Cheguei ao Poço depois de cerca de 20 minutos de caminhada. O Poço recebe esse nome por causa de uma infeliz lenda de escravos que foram afogados nesse local. Além disso, lenda afirma que seus atormentados espirítos assombram o local.

O poço largo e suas águas escuras escondem sua profundidade. Portanto, quem não sabe nadar precisa tomar um enorme cuidado! Mas para aqueles que são mais aventureiros, o Poço do Diabo oferece as opções de rapel e tirolesa. Não só isso, como também tem aqueles que se arriscam a pular do paredão.

Por fim, durante o percurso da trilha existem vários mirantes para fazer aquela foto!

DICA DA NINA DOG:

– Permitido a entrada de cães no local, com guia.

– Não esqueça de levar água, lanche (ração, petiscos)

– Recolher os dejetos

Como chegar

Está localizado a cerca de 18 Km de Lençóis seguindo a BR-242 (direção Seabra).

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Campos de São João/Cachoeira do Pai Inácio/Mirante do Camelo e Morro do Pai Inácio (Pôr do sol).

Dessa vez, nossa aventura na de 1 dia na Chapada Diamantina começou as 9 horas da manhã, saindo de Lençóis e tendo como destinos: Campos de São João, Cachoeira do Pai Inácio, Mirante do Camelo e Morro do Pai Inácio. Toda a viagem durou cerca de 9 horas, e certamente deu para aproveitar cada segundo!

1 dia na Chapada Diamantina: Campos De São João

1 dia na Chapada Diamantina: Beth e Nina Dog pelas ruas de Campos De São João

Campos de São João é um distrito do município de Palmeiras, localizado a cerca de 26 Km de Lençóis. Uma vez que está ao sopé do Morro do Pai Inácio, o vilarejo acaba sendo rota para os turistas que buscam subir o morro e visitar outros lugares próximos.

Entretanto não tem como passar pelo vilarejo de casarões antigos sem parar na fábrica “Doces D’Afra”. Esta oficina situa-se em um casarão antigo, no qual seus doces foram passados de geração em geração. Além disso, os doces são feitos de modo artesanal em um forno à lenha. Ou seja, uma delicia que não se pode deixar de comprar!

1 dia na Chapada Diamantina: Cachoeira Do Pai Inácio

1 dia na Chapada Diamantina: Cachoeira Do Pai Inácio

Próxima a Campos de São João fica a pequena Cachoeira do Pai Inácio. Para chegar até ela, fizemos uma pequena trilha de 20 minutos. Esta é considerada de nível fácil, contudo é recomendado ir com guia. Pois, o local é deserto.

Infelizmente, a cachoeira estava com pouca água no dia, isto é devido a falta de chuva. Apesar de a queda d’água ter se mostrado muito bonita e aconchegante, só faltou mesmo mais água para eu dar um mergulho (risos).

Mirante Do Camelo

1 dia na Chapada Diamantina: Mirante Do Camelo

Fomos de carro até próximo do Mirante, mas depois fomos obrigados a seguir a pé. Também é necessário guia, isto é, por não ter trilha e acesso fácil ao local. Este é um lugar que não é muito ofertado pelas agências de turismo.

A visão que temos da paisagem é espetacular! Sem contar a experiência de ver um morro com formato de camelo (risos). Apesar de um ótimo local para ver o Sol se pôr, optamos por ir ter essa visão no Morro do Pai Inácio.

Morro Do Pai Inácio

No Morro do Pai Inácio é necessário pagar uma taxa de 6 reais para subir. Além disso, não é permitido a subida de cães. Ou seja, @ninadog teve que esperar no carro, sendo assim observada pelo próprio guia.

Quando a Chapada Diamantina é lembrada, esse morro é a primeira imagem que se vem a memória. Não é por menos, já que esse é seu grande cartão postal! Claro que não poderíamos ter deixado de ir. Ainda mais com um pôr do sol fascinante e maravilhoso que somente essa região pode oferecer!

Como chegar

Está localizado a cerca de 26 Km com a partida em Lençóis e 20 Km de Palmeiras pela BR 242.

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

A Cachoeira e as Piscinas Naturais do Rio Roncador foram mais uma parada na série de aventuras em meio a diversidade da Chapada Diamantina (Confira todos os posts da série!).

Contratei um guia em Lençóis e deixamos o carro próximo ao Marimbus e fomos a pé.

Tem opção de ir de barco, mas preferi me aventurar caminhar e andar com água na cintura para atravessar o rio.

A trilha dura cerca de 2 horas, com parada para almoço. Tem um restaurante espetacular com comida caseira feita no fogão a lenha. (R$ 30,00 livre por pessoa).

Começamos o tour às 9 horas e terminamos as 16 horas.

O Rio Roncador leva esse nome por causa do barulho de suas águas. O nome pode até ser estranho, mas, seu cenário maravilhoso encanta qualquer visitante!

Cachoeira do Roncador

A Cachoeira é uma pequena queda d’água, mas, juntamente com as piscinas naturais se torna um ótimo lugar para relaxar, mesmo em épocas de seca!

Piscinas Naturais

O Rio Roncador forma incríveis piscinas naturais com uma areia que lembra muito uma praia. Por ser de fácil acesso, todo esse passeio é perfeito para se fazer em família. Da para curtir muito o banho e se refrescar nesse calor!

Como chegar

A Cachoeira está localizada a cerca de 20 Km de Lençóis BA, pela Estrada para Comunidade Remanso.

  • Trilha de nível fácil

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Beth na trilha serrano: caldeirões do serrano
Caldeirões do Serrano

Continuando minha aventura na Chapada Diamantina (Confira aqui todos os posts). Fui me aventurar na Trilha do Serrano, uma trilha nível fácil, dura cerca de 2 horas e meia. É necessário contratar um guia, mas, caso não tenha, no início da trilha ficam guias de uma associação de guias locais.

Logo em Serrano, encontra-se piscinas naturais e seguindo por cerca de 15 minutos vendo belas formações rochosas, e então chega-se no Salão de Areias Coloridas, onde se encontram rochas de várias tonalidades de cores. Mas apesar encanto do lugar, temos que seguir em frente!

Salão de Areias Coloridas

Seguindo por uns 10 minutos, chegamos no Poço Harley, e então nos deparamos com uma leve queda d’água e um convite tentador para se banhar naquelas águas.

trilha serrano: poço halley
Poço Halley

Andando um pouco mais, chegamos na Cachoeira Primavera, com uma água escura que pode ser confundida com poluição, mas é devido aos minerais que tem essa coloração.

Beth na Cachoeira da primavera, trilha do serrano
Cachoeira Primavera

Subindo a Cachoeira Primavera, encontramos o Poço Paraíso, formado também pelas águas da Primavera com a mesma tonalidade escura.

Poço Paraíso

Dando sequência a trilha, além de banhos, você tem um visual incrível no Mirante de Lençóis.

Mirante de Lençóis

E por fim, chegamos ao nosso destino, a Cachoeirinha, a piscina natural rasa é ideal para criança.

Certamente a tranquilidade do local e o contato com natureza encerram nossa trilha deixando uma grande paz de espírito e calmaria depois dessa pequena aventura.

Dica da Beth

  • Evite alta temporada, pois costuma lotar
  • É ideal para passeio em família.
  • Além disso, leve protetor solar e lanche

Como chegar à Trilha do Serrano

Serrano fica a cerca de 15 minutos do centro de Lençóis.

Ir acompanhado de guia local credenciado.

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

NOS SIGA NO INSTAGRAM: BETH CRISKO | NINA DOG

Fazenda Pratinha - Beth e Nina dog
Um passeio completo de aventuras, belezas naturais e muita diversão!

No roteiro sobre as Grutas da Iraquara, falei um pouco sobre as Grutas Pratinha e Azul. Porém, a Fazenda Pratinha possui muito mais do que apenas as grutas, por isso fiz um roteiro completo, com a Nina Dog, nesse lugar conhecido como Oásis do Sertão!

As grutas Pratinha e Azul são apenas 2 das 6 grutas localizadas na Fazenda Pratinha, mas, apenas essas são abertas à visitação. E ainda assim, só pode entrar na Pratinha por meio da flutuação e a gruta Azul, só pode observá-la, principalmente com a incidência dos raios solares, todo esse cuidado é para manter a preservação das grutas!

Fazenda Pratinha - Gruta Azul
Gruta Azul

A Fazenda Pratinha oferece estacionamento gratuito. Além disso, tem loja de artesanato, restaurante com comidas típicas e uma pousada rústica com vista para o rio Pratinha.

Assim sendo, ao chegar paga-se uma entrada de R$40,00 com direito a observação na Gruta Azul. Então na própria recepção já pega os tickets das coisas que irá fazer… Mas, o que tem para fazer?

Flutuação

Fazenda Pratinha - Flutuação Beth

O passeio de flutuação conta com todos os equipamentos necessários (máscara, colete salva vidas, lanterna, entre outros) e com instrutores locais, que explicam sobre o passeio e auxilia em todo o percurso.

Além disso, durante o mergulho é possível ver de perto uma grande variedade de peixes, em um cenário maravilhoso. Ademais, chegando fora da gruta, a água fica bem azul… Então não é para menos que a Fazenda Pratinha foi eleita a terceira água mais cristalina do mundo!

  • A flutuação custa R$ 40,00.
  • Duração de 20 minutos.
  • Idade mínima de 10 anos.

Fotos subaquáticas

Fazenda Pratinha - Beth foto subaquática

Existe uma área reservada para as fotos nas águas cristalinas, com grande variedade de peixes e vegetações, criando um cenário perfeito para registrar essa visita marcante!

  • Custa R$ 60,00 por 20 fotos com direito a acompanhante.

Tirolesa

Fazenda Pratinha Beth na Tirolesa

Os aventureiros podem se deliciar em um salto de cerca de 12 m de altura, com 80 m de comprimento caindo no rio de águas cristalinas!

  • Cada salto custa R$ 20,00.
  • Idade mínima de 5 anos.

Outras aventuras na Fazenda Pratinha

Além da tirolesa, existem ainda opções de Caiaque, Stand Up, Pedalinho, visitação das grutas e o banho no rio de águas cristalinas.

Dica da Nina Dog

Antes de mais nada, a Fazenda Pratinha libera a entrada de cachorro, se for comportado, não precisa estar na guia. Pode entrar no parque, mas, não pode entrar na água.

Como chegar à Fazenda Pratinha

A Pratinha está localizada a cerca de 20 km de Iraquara, via BR-122, e 47 km de Lençóis.

Contato

Quer saber mais? Acesse o site e o Instagram da Fazenda Pratinha!

Álbum de fotos – Fazenda Pratinha

Confira mais fotos no álbum!

IRAQUARA – CHAPADA DIMANTINA – BA

A segunda parte do Roteiro da Chapada Diamantina, foram nas grutas próximas ao centro da cidade Iraquara – BA. Confira a primeira parte “Cachoeira Donana e Poço da Judite

Dos municípios da região, destaca-se a cidade de Iraquara com 97 grutas registradas no CNC (cadastro nacional de cavernas). Dessa maneira, é a cidade mais cavernosa da Bahia e terceiro lugar no ranking dos estados com 708 cavernas reconhecidos,  é conhecida como a “Cidade das Grutas”.

Localiza-se a 68km de Lençóis, cidade da Chapada onde sai a maior parte dos roteiros vendidos pelas agências.

Gruta da Fumaça

Apesar de pequena, a Gruta da Fumaça é a mais completa em diversidade das formações. No último salão, o teto é formado por estalactites, que dão a impressão de terem estacas de gelo grudadas no teto. Ademais o interior é muito quente com alta umidade, recomendo ir de roupas leves!

Dura cerca de 40 minutos e custa 40 reais por pessoa, com fornecimento de capacete e lanterna. Pela sua facilidade, é ideal para passeio em família. Durante a alta temporada recomendo ir mais cedo, pois existe um limite diário de 200 visitantes.

Uma das mais bonitas que achei, apesar de pequena.

  • Localizada a 10 km de Iraquara via BR-122
  • No local tem restaurante e banheiro (boa infraestrutura).

DICA DA NINA DOG

Como é proibido a entrada de cães, na recepção o pessoal é bem atencioso e fica cuidando. Mas como foi um tempo curto eu fiquei no carro esperando a mamãe.

Gruta da Lapa Doce

A Gruta da Lapa Doce é a terceira maior gruta do país com cerca de 18 Km mapeados e 850 metros abertos à visitas; também é a mais visitada, entre as grutas da Chapada.

A sua trilha é de nível fácil, cercada pela vegetação da caatinga até a sua entrada. O começo é uma descida de 70 metros passando por frestas nas rochas, e assim, chegar ao primeiro salão. A visita dura cerca de 1 hora e 20 minutos e custa 30 reais por pessoa.

  • Horário de funcionamento: das 8:00 às 17:00.
  • Localizada a 11 km de Iraquara via BR-122
  • Possui ótima infraestrutura (restaurante self-service, banheiro)

DICA DA NINA DOG

O pessoal fica cuidando do pet enquanto seu tutor passeia pela gruta.

A recepção é fechada e tem opção de deixar lá que eles monitoram.

Gruta da Torrinha

Gruta da Torrinha Iraquara BA

Entre todas as grutas que fui, essa foi a mais extensa (bem cansativa) mas muito bonita. Além disso, seus vários tipos de formações raras são encantadores, algumas se assemelham a flores. Sem dúvida um visual de tirar o folego!

Assim são oferecidos 3 roteiros separados ou completo, optei por fazer o completo, paguei cerca de 120 reais, com duração de 3 horas e até 2 Km de caminha no interior da caverna.

Se for em grupo, sai em média R$50,00 por pessoa.

  • Localizada a 15 km de Iraquara via BR-122
  • No local tem boa infraestrutura (restaurante e banheiros).

DICA DA NINA DOG

O pessoal da recepção também é super atencioso, mas como são muitas horas esperando, recomendo deixar seu dog com alguém de confiança para não ficar entediado.

Gruta Bolo de Noiva – Iraquara BA

Gruta Bolo de Noiva Iraquara BA

A gruta recebe esse nome, pois tem uma formação de 100 metros da entrada com formato de bolo de casamento. Mas, já foi chamada de Buraco do Cão. Além disso a caverna conta com várias formações de estalagmites e estalactites e uma lagoa.

É pequena, com cerca de 600 km de extensão e não tem infraestrutura de recepção, banheiro, entre outras. O caminho havia muitas pedras soltas, por isso, precisamos de muita atenção para não nos machucarmos.

Dentre todas, a Bolo de Noiva foi a que menos gostei. O passeio durou cerca de 1 hora e o valor foi de 20 reais.

  • Localizada a 20 km de Iraquara via BR-122
  • Não tem infraestrutura no local, é bem rústico, e um morador local apresenta a gruta.

DICA DA NINA DOG 

NÃO tem ninguém para olhar seu dog, então melhor deixar com alguém de confiança em casa ou pousada, ou até mesmo no carro.

Gruta da Pratinha e Gruta Azul – Iraquara BA

Gruta da Pratinha Iraquara
Gruta da Pratinha

Fazem parte do conjunto da Pratinha e estão localizadas na Fazenda Pratinha, uma propriedade privada, onde é necessário pagar uma taxa de entrada de R$40,00 reais. Aliás, lá também se encontra a Lagoa da Pratinha com opções de aventuras como descida de tirolesa, flutuação e aluguel de caiaques!

Entretanto o maior diferencial dessa passeio é fazer a flutuação (paga a parte), no qual, podemos ir para o interior da caverna acompanhados de peixes e admirar todo o local. Para quem preferir não fazer a flutuação, pode observar as belezas naturais do local mais de longe, por terra.

Gruta Azul Iraquara
Gruta Azul

Então andando um pouco você chega na Gruta Azul, que a depender da época do ano (de abril a setembro) e do horário das 14h às 15h a pequena gruta vira palco da incidência dos raios do sol, iluminando seu belo cenário natural.

E dei sorte de quando cheguei, bem no momento abriu o sol e pude ver o feixe de luz no dia, pois o dia estava nublado.

  • Localizada a 20 km de Iraquara via BR-122 e 47km de Lençóis.
  • O local é um verdadeira parque aquático natural com diversas opções para família.

Maiores Informações sobre a Pratinha : Site da Fazenda Pratinha

DICA DA NINA DOG

Eu amei o lugar, fui super bem recebida (é permitido entrada de cães, menos entrar na água)

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

CACHOEIRA DONANA E POÇO DA JUDITE

Mais uma vez na Chapada Diamantina, mas dessa vez fiquei mais tempo e pude fazer um roteiro mais completo. Anteriormente fiz um roteiro completo do Vale do Capão e fui em alguns Trekking e pontos turísticos. E agora a primeira aventura foi em Andaraí na Cachoeira Donana e no Poço da Judite.

Cachoeira Donana

BETH E NINA DOG NA CACHOEIRA DONANA - ANDARAÍ

A cachoeira fica próxima à Vila de Igatu, saindo de Igatu é a segunda ponte, tem estacionamento (lado esquerdo da pista).

  • Como chegar: Saindo da estrada real (estrada de pedra) até BA 142 em direção a Andaraí, logo após basta caminhar por cerca de 15 minutos em uma trilha de nível fácil.

Ainda no início da trilha, encontramos a Toca do Morcego, uma loja que vende lanches e artesanatos locais, assim, difícil mesmo é seguir viagem sem levar nenhuma lembrança da loja!

Mas dando continuidade a trilha: chegamos a cachoeira em cerca de 10 minutos de caminhada e seguindo pelas pedras você chega em outro poço para banho.

BETH NA CACHOEIRA DONANA - ANDARAÍ

A Donana sem dúvida tem uma fúria e beleza incomparável. Suas águas vem do Rio Paraguaçu (o maior rio genuinamente baiano) e em época de chuva sua força torna o banho perigoso. Mas, normalmente, o único perigo que oferece são seus poços profundos.

  • Local de fácil acesso e recomendado a toda família.

Poço da Judite

Poço da Judite - ANDARAÍ

Saindo da Cachoeira da Donana em direção a Igatu (10 minutos) chega-se a entrada da cachoeira, porém sem nenhuma placa (bom pedir informações). Anda-se uma trilha de fácil acesso cerca de 10 minutos até o poço da Judite, e depois seguindo pelas pedras mais 10 minutos até a cachoeira.

Poço da Judite não é incluso nos roteiros das agências, pois sua falta de infraestrutura e sinalização dificulta o acesso.

O local é ótimo para banho, porém, como o dia  estava fechando eu e Nina Dog ficamos somente tomando banho no poço, pois seria perigoso continuarmos subindo as pedras caso chovesse.

DICA PARA ALMOÇO EM ANDARAÍ

  • Cabana Rústica

DICA PARA HOSPEDAGEM – ANDARAÍ

Permitido entrada de cães.

PRESERVE A NATAUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Um caso de amor com a Chapada Diamantina!
Vale do Capão visto de cima

Fui  algumas vezes à Chapada Diamantina, e em especial um lugarzinho em especial no meu coração é o Vale do Capão, onde fiz muitas amizades e tem uma energia incrível que me traz muita tranquilidade!

Localizado no limite do Parque Nacional da Chapada Diamantina, ele é mais do que um santuário ecológico: é um lugar fascinante! Uma vez que o clima de esoterismo e paz está presente no dia a dia da comunidade e foi trazido por jovens ainda embalados pelos sonhos dos anos 70.

7 DICAS PARA VIAJAR MUITO BARATO PELO BRASIL

Aliás no Capão estive por duas vezes, explorar e ir de encontro com a  paz!

Os roteiros a seguir são de duas idas que fiz ao Vale, totalizando assim sete dias de treckking.

Você pode optar e selecionar  de acordo com seu perfil e disponibilidade de tempo e condicionamento físico. Mas ficou faltando somente à cachoeira da Fumaça, que é considerado a mais “famosa” da Chapada.

Devido ao clima chuvoso não consegui ir, mas com certeza irei voltar para realizar esse trekking.

Cachoeira da Purificação e Angélica – Vale do Capão

PURIFICAÇÃO

Beth na Cachoeira da Purificação Vale do Capão

O acesso a Cachoeira da Purificação e ao poço da Angélica é por uma trilha de 15 minutos a partir da Vila da Bomba, a 8 km do Vale do Capão. Então você pode optar em ir a pé, e no caso fui de carro até o inicio da trilha.

É um dos treckkings mais fáceis, dura em média uma hora de caminhada, vai margeando o rio, portanto uma dica é sempre estar com um calçado adequado e a companhia de um guia credenciado.

Além disso, a Cachoeira da Purificação é considerada a mais gelada para banho da Chapada na minha concepção.

Então recomendo irem cedo para não pegar movimento de pessoas no local e também o sol que bate até meio dia e dá um reflexo muito bonito.

ANGÉLICA

Beth na cachoeira Angélica Vale do Capão

Então na volta, depois de já “purificada” pra não dizer gelada (risos), é a parada para o banho no poço da Angélica.

Na verdade não parei, pois além de estar cheio de pessoas, estava em época de “seca”, pouca água.

  • Trilha de Nível Fácil

Riachinho – Vale do Capão

Vale do Capão Beth no riachinho

A distância do Vale do Capão para o Riachinho é de 6 km, podendo ir a pé ou de carro. Assim, paga-se uma taxa de R$ 6,00 na entrada do atrativo, são 500m de trilha até a Cachoeira do Riachinho, é fácil e autoguiada e cachoeira possui uma queda de 8 m que desemboca em piscinas naturais, recomendada para toda família.

Por fim, ao final do dia você além de relaxar, pode contemplar um belíssimo pôr do sol.

  • Trilha nível fácil

Águas Claras – Vale do Capão

Vale do Capão Beth na trilha

Quem vai ao Vale do Capão na Chapada Diamantina, tem a chance de conhecer lugares incríveis como o Morrão e a Cachoeira de Águas Claras. O Morrão, por exemplo, é considerado por muitos o morro mais bonito da Chapada, com seus 1.318 metros de altitude.

Ele é um belo cartão-postal e pode ser visto de diversos lugares, uma vez que está localizado em meio ao Gerais do Morrão.

Ao passo que Águas Claras é uma pequena cachoeira de águas cristalinas que fica justamente atrás do Morrão.

Vale do Capão Beth em águas claras

É um cenário incrível, a pequena cachoeira com um buraco no topo forma uma deliciosa piscina de águas clarinhas.

Assim, são duas horas de caminhada, em média 12 quilômetros (ida e volta), sendo o trecho entorno do “Morrão”.

A trilha é completamente aberta, com pouquíssimas sombras então não economize no filtro solar, use blusa com proteção UV, chapéu, boné, e leve sua garrafa de água e lanche.

Ademais, na volta da trilha para o Vale do Capão fui surpreendida com delicioso jantar gourmet no Bistrô o Gatão, vale muito a pena conferir.

  • TRILHA DE NÍVEL FÁCIL/ MODERADA

Abaixo Vídeo da Cachoeira de Águas Claras

Ponte Velha e Cachoeira das Rodas – Vale do Capão

PONTE VELHA

Na trilha para cachoeira das rodas, passa por uma parte onde é a Estrada Real e Ponte Velha, cujo ainda dá ver um pedaço dela, uma antiga trilha onde era passagem para os tropeiros.

Dessa forma, fiz Ponte Velha, Rodas e Rio Preto na volta, em média 3 horas de caminhada.

  • TRILHA DE NÍVEL MÉDIO / MODERADO

CACHOEIRA DAS RODAS

A Cachoeira de Rodas é um belo passeio que também tem histórias das antigas trilhas dos tropeiros, vegetação de Caatinga, cactos e plantas “de cheiro”.

Além disso, uma bela cachoeira e um poço gigante no final da descida pelo leito do rio, passa também por uma corredeira das Rodas onde funcionavam antigamente rodas d´água para o beneficiamento da farinha e do café.

O raio de sol batendo nas pedras dá um efeito alaranjado incrível!

Mas descendo a corredeira até o final, tem um poço e uma pedra enorme separa a corredeira desse poço maior.

Rio Preto – Vale do Capão

Beth no Rio Preto - Vale do Capão

Já que fui duas vezes ao Vale do Capão, acabei indo ao Rio Preto nas duas vezes que fui à primeira fui direto somente nele e a segunda vez foi pela trilha acima: Ponte Velha e Rodas, e por último nele para pegar o pôr do sol.

Para chegar até o Rio Preto, do centro da Vila do Capão a pé, são em média 20 minutos de caminhada até a entrada da trilha ou ir de carro e estacionar próxima a entrada da trilha.

Mas no caso deste Trekking, fiz Rio Preto, Ponte Velha e Cachoeira de Rodas (3 horas de caminhada)

Finalizando contemplar um belo pôr do sol.

Por do Sol Rio Preto - Vale do Capão

Caminhada leve, em média 40 minutos se sair do Vale do Capão e ir direto para chegar até o poço.

Recomendo ir cedo para não aproveitar e não ter muitas pessoas, já que é de fácil acesso.

Conceição dos Gatos e Poço das Cobras – Vale do Capão

CONCEIÇÃO DOS GATOS

Estava indo abastecer o carro em Palmeiras para depois ir fazer esse trekking, quando no meio do caminho surge uma história muito incrível de um artista que transforma o lixo reciclável em arte.

Segue link da história (como aconteceu)

Esta trilha é muito legal para quem vai com crianças, bem tranquila, e o acesso para quem sai do Vale do Capão é feito pela estrada em direção a Palmeiras, após 12 km há a entrada da pequena Vila da Conceição dos Gatos.

Tem um cemitério logo na entrada, segue-se então por mais uns 2km e chega-se a entrada da Cachoeira da Bela Vista (este é o nome verdadeiro, Conceição dos Gatos é o nome da Vila e não da Cachoeira).

O acesso é feito por uma descida um pouco íngreme em forma de escadaria, depois atravessa-se o rio, passa-se por um campo de futebol, segue-se a trilha numa subida, no percurso da subida já dá para avistar a Cachoeira, que é enorme e suas águas seguem rio abaixo, em propriedade particular. (paga-se uma pequena taxa para entrar).

A trilha é em torno de uma hora de caminhada.

Há um poço maior, com uma cachoeira pequena e volumosa, acima há três poços menores, um deles é bem legal para crianças porque é raso e com areia no fundo do poço, além de algumas árvores com bastante sombra no seu entorno.

POÇO DAS COBRAS

Após os três poços menores da Conceição dos seguindo pelo leito do rio a trilha aumenta um pouco o grau de dificuldade, caminha-se pelas pedras mais uns 20 minutos, algumas pedras das quais pontiagudas e vegetação da caatinga, e apesar do nome não apresenta perigo, mas é bom sempre estar acompanhado de um guia.

O poço é em meio à mata fechada, com paredões de pedras e ao bater o sol na água reflete nas pedras e forma um efeito lindo, começa raso e vai ficando fundo, e a cascata tem uma queda de água forte podendo sentar embaixo dela e receber “aquela massagem” nas costas.

Recomendo também ir cedo para não pegar movimento de turistas, já que o local é pequeno.

  • Trilha de nível fácil moderado

Mirante e Poço do Gavião – Vale do Capão

Beth no MIRANTE DO GAVIÃO - VALE DO CAPÃO

Caminhada em média de 2 a 5 horas (ida e volta) até o Poço do Gavião, dependendo do rimo de cada trilheiro, passa pela Serra do Candombá do lado oeste do Vale do Capão, com vistas esplêndidas do vale, do Morrão.

Além disso, no caminho uma parada no Mirante do Gavião para apreciar a paisagem, e encontra diversas espécies de orquídeas, sempre vivas, bromélias e várias outras plantas nativas da região como o Candombá.

POÇO DO GAVIÃO

O Poço do Gavião tem mais de 100 metros de extensão e abriga uma espécie de tartaruga da região (não consegui vê-las no dia) (risos)

Ademais o acesso é tranquilo, de muita paz, silêncio e um ambiente mais preservado, caminhada de 5h (ida e volta) até o Poço do Gavião.

Beth no poço DO GAVIÃO - VALE DO CAPÃO
  • Trilha de nível avançado

Segue vídeo do local:

O retorno você pode ir contemplando a paisagem que parece uma pintura, muitas sempre-vivas, e contemplar o pôr do sol.

DICA DA BETH:

  • Contrate um guia local, por mais fácil que possa parecer à trilha, não há placas de sinalização e pode ocorrer imprevistos.
  • Leve sempre uma mochila com uma roupa sobressalente, toalha, água, lanche, pois quase todas são longas e não há nada por perto para comprar.
  • Recomendo usar blusa de proteção solar, chapéu /boné, pois as trilhas sempre são expostas ao sol.
  • Vá com um tênis apropriado para trilha (que possa molhar).
  • Recolha sempre seu lixo, mesmo restos de frutas que orgânico, além de poluir, irá mexer com a fauna natural do ambiente.
  • Leve dinheiro em espécie, pois não há caixas eletrônicos, somente correspondente bancário em um supermercado. Mas quase todos restaurantes e pousadas passam cartão.
  • Se acaso for de carro, encha seu tanque antes de chegar, a cidade mais próxima para abastecimento é Palmeiras (cerca de 21km).
  • Se for de ônibus verifique sempre os horários antes de ir para não ficar esperando muito ou correr o risco de ficar por lá, pois vai parar em Palmeiras, pegar uma Van e ir até o Vale do Capão.
  •  

O.B.S.: No Vale não pega sinal de nenhuma operadora de celular, apenas pousadas ou restaurantes possuem wi-fi, portanto tenha em mente que você vai pra se desconectar o mundo e entrar realmente em contato com a natureza e buscar paz!

Além disso, tem também um cachorro quente incrível do Guepas Dog do proprietário Manoel, que acabou se tornando amigo e virou história:

RECOMENDAÇÕES:

Pousada e Hostel:

Pé no Mato

 ____________________________

Bistrô do Gatão (Riachinho de Lençóis)

Whatsap para reservas: (71) 997072928

Instagram: @leonardomabreu 

_______________________________

Restaurante Pico do Açaí

________________________________

GUEPAS DOGS / CACHORRO QUENTE VEGETARIANO

Manoel Santos:

Rua principal no Vale do Capão, em frente à Dona Deli.

_____________________________________________________

Abaixo segue o vídeo completo do Trekking da segunda ida ao Vale!

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

Um cemitério que se tornou atração turística!

Cemitério Bizantino

Você conhece o CEMITÉRIO BIZANTINO? .

Não?

Sim!

Falei cemitério rsrs,

Ele tem história é uma arquitetura diferenciada que chama atenção e virou ponto turístico.

Ele fica em Mucugê| Chapada Diamantina Ba. .

Por volta de 1855 houve uma epidemia de cólera em Mucugê, morreram muitas pessoas. .

Por causa de um decreto o Brasil era império e não poderia mais enterrar pessoas nas igrejas, aí escolheram um espaço embaixo da MONTANHA EM FRENTE À CIDADE DE MUCUGÊ.

Os túmulos foram erguidos com muito capricho, com pequenas imitações de templos católicos e é preservado como obra de arte das mais importantes. .

Os túmulos brancos se assemelham a cúpulas do mar Egeu, construídas durante o Império Bizantino.

Quando forem em Mucugê na Chapada Diamantina, não deixem de conhecerem este curioso cemitério.

BELEZA GIGANTE EM UM  CENÁRIO PEQUENO

O tour  da vez é em Mucugê  na Chapada Diamantina ,  uma cachoeira pequena chamada Córrego de Pedras , mais com um cenário muito lindo e de fácil acesso.

Aproximadamente 88 km do Vale do Capão à Mucugê, resolvi modificar o roteiro devido ao tempo chuvoso e ir fazer um tour por lá.

A dica de roteiro   foi de uma amiga-irmã Lilian que mora por lá e que tem a melhor Pizzaria de Mucugê e pra mim é a melhor que já comi: PIZZARIA D’ ENRICO. Não deixem de ir conhecer e degustar a pizza de massa integral que recomendo!

A sugestão foi de  uma trilha curta já que não tínhamos muito tempo , pois estávamos de passagem ,  e a dica de roteiro foi  a Cachoeira do Córrego de Pedras que fica próximo de Mucugê, pertinho da cidade.

Fica linda de em períodos de chuva, com certo volume de águas descendo pelo paredão de pedras.

Poço pequeno, e a água bem gelada. (nem consegui tomar banho). rsrs

Ela tem todo um ar mágico em sua beleza fora do comum ao um lugar pequeno.

Fica próximo ao Centro de Mucugê, seguindo pela BA-142 sentido Ibicoara.

A sugestão é sair a pé ou de bike para curtir a paisagem montanhosa do trajeto. O carro chega ao inicio da trilha e você vai percorrer aí uma meia hora de caminhada até a cachoeira.

A distância é em torno de 5,5 km ida e volta, e todo o trajeto é bem plano e de fácil acesso.

Quem estiver na Chapada Diamantina e ir a Mucugê, ou faça como eu se estiver em outra cidade e estiver chovendo, mude seus planos e vá para outra cidade.  Recomendo ir conhecer, vale muito a pena conhecer !

TRILHA DE NÍVEL FÁCIL

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO! 

O lixo que vira arte nas mãos de uma alma com “Energia Positiva”

Tudo começou quando eu precisei ir até a cidade de Palmeiras na Chapada Diamantina – BA, com o fim de abastecer o carro para o próximo trekking. E então, de repente, avistei um carro cheio de adereços, onde parei para fazer uma foto, e a história de arte começa.

O roteiro do dia seria Conceição dos Gatos/ Vale do Capão, mas é com muita alegria que ele deu lugar ao “Viajando em Histórias” da vez, de um artista que transforma lixo em arte, Joas Brandão.

O carro me chamou atenção, então resolvi parar para fotografar junto com Maíra Amaral (fotógrafa) e o condutor Rodrigo Ferraz.

E então chega Joas para nos receber, o dono do pedaço e de uma simpatia singular, com aquela “Energia Positiva”, que é seu bordão rsrs

E assim ele já nos carregou para dentro de seu ateliê , conversando, mostrando suas obras de artes e cheio de “Energia Positiva”, claro.

Cada lugarzinho que você olhava, havia alguma arte.

exibição de arte: Beth olhando para prateleiras de garrafas térmicas

Vai um cafezinho aí? Hehe

Jaqueira e arte

Essa casa da árvore na Jaqueira é inegavelmente uma beleza!

Grupo ambientalista de PalmeirasGAP

No início da década de 90, o GAP iniciou um trabalho de sensibilização e conscientização dos moradores do Vale do Capão.

Assim, mutirões de limpeza, construção de girais, palestras nas escolas e com visitantes, programa de rádios, teatro e panfletagem culminaram na separação de lixo no Capão, cuja coleta era feita pelo GAP com a contribuição voluntária da comunidade.

Em 2005 a coleta do lixo “seco” do Capão foi assumida pela Prefeitura Municipal enquanto o GAP, junto com a comunidade, continua alerta com os problemas do lixo. Em julho de 2008, o município de Palmeiras foi contemplado com o Projeto “Lixo Nosso de Todo Dia”, parceria IMA/ GAP com o governo do estado, o qual realizará a separação do lixo na sede do município com educação ambiental, coleta, e uma posterior cooperativa de catadores gerando assim mais uma fonte de renda para este setor.

Beth e Joas, com a arte ao fundo.

Joas é um cara muito iluminado, daquelas pessoas que entram para o “Viajando em Histórias”, e que certamente fazem a diferença para local onde vive e para o mundo!

PRESERVE A NATUREZA, RECOLHA SEMPRE SEU LIXO!

OU

SE TIVER POR PALMEIRAS DOE O LIXO RECICLÁVEL AO JOAS QUE ELE SABE O QUE FAZER!

Antes de tudo, grata por ter conhecido essa pessoa tão especial!

ROTEIRO VALE DO CAPÃO!

10 DICAS DE TRILHA PARA INICIANTES